Qual a importância da verificação e validação dos aparelhos auditivos?

O objetivo da adaptação de aparelhos auditivos é fornecer audibilidade para os sons da fala, em níveis seguros e confortáveis.

A frase mais comum entre os indivíduos com perda de audição é: eu escuto, mas não entendo.

Quando adaptamos aparelhos auditivos o que mais queremos é melhorar o desempenho comunicativo, ou seja, permitir que o paciente ouça melhor nos encontros da família, nas reuniões com os amigos, no ambiente de trabalho e em diversas situações do dia a dia.

Mas, para isso, não basta apenas colocar aparelhos auditivos na orelha. É preciso passar por um processo de seleção e adaptação do melhor modelo para o seu caso.

Após a avaliação audiológica, o fonoaudiólogo irá programar os aparelhos auditivos de forma personalizada para cada paciente.

Para saber se a amplificação está chegando na orelha do paciente conforme esperado é preciso realizar a verificação destes dispositivos.

O processo de verificação do desempenho do aparelho auditivo tem como objetivo medir e verificar se os objetivos do processo de seleção foram realmente alcançados.

A verificação pode ser comportamental, realizada por meio de audiometria em campo livre, que compara o limiar do paciente com e sem os aparelhos auditivos.

A verificação eletroacústica traz ao profissional um número maior de informações sobre o desempenho do aparelho auditivo diretamente na orelha do paciente. Neste procedimento podemos avaliar:

  • A adequada vedação acústica na orelha do paciente;
  • O ganho para diversas intensidades de sons da fala, conhecido como mapeamento de fala
  • A quantidade de som na saída do aparelho para evitar desconforto e danos a audição;

Esse procedimento avalia de forma objetiva o quanto de fala é acessível ao paciente, com e sem aparelho auditivo. Não avalia a capacidade do indivíduo de compreender a fala ou discriminar os sons.

É fundamental saber se, com o uso de aparelhos auditivos, o paciente tem maior possibilidade de receber informações de fala para melhorar a comunicação.

 Sabemos  que nem todos os sons de fala serão audíveis, mesmo com a amplificação, em função do grau e configuração da perda auditiva.  Sabemos também que o reconhecimento de fala envolve tanto a audibilidade, como atenção e memória, além de outras habilidades auditivas.

Na cabina acústica podemos realizar  os testes de reconhecimento de fala com a apresentação de uma lista de palavras para serem repetidas pelo paciente. Estes, complementam a avaliação eletroacústica e pode indicar a habilidade do indivíduo para escutar e reconhecer a fala.

VALIDAÇÃO

Após a verificação a etapa de validação também é muito importante. O objetivo é medir o benefício fornecido pelos aparelhos auditivos.

Permite avaliar o impacto do uso dos aparelhos auditivos na melhora da qualidade de vida, nas atividades de escuta, relacionamento social e estado emocional do usuário.

Os questionários de autoavaliação são as ferramentas mais recomendadas para medir a percepção do próprio paciente acerca do benefício obtido com o aparelho auditivo.

A validação dos resultados deve ser realizada continuamente para avaliar o real benefício obtido pelo paciente. Avalia melhora das relações comunicativas nas mais variadas situações do dia-a-dia, reflete ainda a qualidade do relacionamento social e emocional do paciente adaptado.

Somente avaliando os resultados, o fonoaudiólogo poderá garantir a efetividade do tratamento, o benefício do paciente e consequentemente o sucesso da reabilitação auditiva

Por Andrea Soares – Fonoaudióloga CRFa – 2 -11424